29 de março de 2009

It's Too Late

[...] yeah... I must be only one in a million [...]

E a dor que eu sentia a cada vez que você aparecia foi diluindo-se, como heroína em meu sangue. Só que a droga que você me proporcionava não fazia mais efeito, a droga do amor que eu sentia não faz mais efeito.
As coisas mudaram agora, pelo menos para mim. Ainda sinto a sua falta, mas não tanto quanto ontem, e com certeza amanhã sentirei muito menos, é isso que ainda me mantém viva. O tempo passa, até para mim.

[...] I won't let the day pass without her [...]

Eu contava os minutos pra te ver, mas o relógio me odiava.
O tempo passa.
E os minutos que eu contava foram deixados para trás.
Mas seu cheiro ainda está em mim, e a lembrança da nossa última noite, que insistem em invadir a minha mente.
Eu sou a vítima, mas também sou a assassina.
Eu quis assassinar esse amor, ou quem acabaria morta seria eu.

[...]It's too late - to be grateful[...]

E o tempo passa.
E os ponteiros que antes caminhavam lentamente, aproveitando-se do meu sofrimento e se banhando em minhas lágrimas, agora correm. Correm, porque agora ninguém mais os observa, com os olhos receosos esperando você chegar.
Isso é doloroso para você?
Ora, mas você nunca deu valor.

[...]It's too late - to be late again[...]

Aquela dor já não habita o meu coração. As lágrimas não queimam mais o meu rosto. E eu já me acostumei a deixar o telefone desligado.
O sorriso voltou a brotar em minha face. Eu sabia que isso iria acontecer, é como o nascer do sol. Mas a sua sombra pairava sobre a minha mente, deixando-me transtornada. Agora nada disso existe mais, eu estou livre.

[...]It's too late - to be hateful [...]

E então as primeiras sensações começam a aparecer.
Ninguém mais espera você chegar, o seu telefone não toca mais.
O céu está escuro, sem nenhuma estrela o enfeitando, Como a sua alma vazia.
Você então percebe que está sozinho. Onde está àquela garota que gostava de chorar?
Você não sabe dizer.
Então você procura o meu número no seu arquivo morto, e quando finalmente o acha, seu coração dispara.

[...] The European cannon is here [...]

Você aperta os botões apressadamente, e enquanto ouve o telefone chamar diversas vezes, sente uma pontada de remorso.
As primeiras gotas de sofrimento começam a invadir os seus olhos, transbordam e escorrem lentamente pelo seu rosto. Elas ardem, mesmo que figurativamente, mas ardem como ácido. Essas são as lágrimas que eu disse que doíam tanto.
Um nó está preso em sua garganta, e parece que nunca irá desfazer-se. Suas pernas fraquejam e você entra em contato com o chão.

[...] It's too late [...]

Nossos momentos passam pela sua cabeça como um filme. E as lágrimas voltam a arder, seu coração bate forte, mas não é de amor, é de remorso.
Meu sorriso te assombra como um fantasma. E você sente falta de um abraço, ou talvez dos meus beijos que eu costumava distribuir em todo o seu corpo. Tudo ao seu redor fica frio, e você se sente sozinho. Meu bem, é aquilo que eu tanto reclamava, isso se chama saudade.

[...] It's too late [...]

Você decide então, correr atrás do tempo perdido, e assim que gira a maçaneta da minha porta, encontra uma casa tão vazia quanto a sua alma. O desespero te invade, e você não consegue controlar a dor. E num instante, milhares de recordações invadem a sua mente. Onde está àquela garota que tanto gostava de chorar?
Ela decidiu ser feliz.
Você mais uma vez não sabe o que fazer para acabar com a dor que te invade. Ora, não há nada a fazer;
É tarde demais.

David Bowie - Station To Station.

Nenhum comentário:

Postar um comentário