21 de junho de 2009

Misturando-se Com o Vento;

[...] E então você acha que está tudo certo agora, não há mais o que resolver. Pelo simples fato de pensar somente no seu bem estar. Se você está bem, então tudo está bem. E não o recrimino por isso. Mas não está, ou pelo menos eu não vou deixar que as coisas andem nos eixos de novo. As coisas não são assim, você não pode simplesmente ir embora e me deixar com os meus “porquês”. Isso não é justo, mesmo que você não sinta nada por mim. Ora, se não sentia, então porque insistiu?

Creio que você não vai passar do desconhecido que eu mais amei, e isso me entristece. Me entristece mais que a sua confusão ao se indagar o que sente. Eu me recuso a tocar nesse assunto novamente, por isso estou escrevendo agora. Para chorar todas as minhas mágoas, e seguir o meu caminho sem você. Francamente, você sequer merecia tudo o que eu tinha a oferecer, e isso me deixa ainda mais triste.

E eu continuo aqui, com um milhão de dúvidas que se recusam a me abandonar. Oh, mas não se preocupe, logo elas também vão embora como você, também vão evaporar e sumir, como todo esse amor.

20 de junho de 2009

A hipocrisia de cada dia;


E eu desabafei em meio a tantas bolhas de sabão: Meu Deus, como há pouca água nesse mundo! Eu observava a água transbordar pela pia, encantada e ao mesmo tempo chocada com a atitude hipócrita e egoísta de todos em relação a esse problema. “Será que ninguém vai dar um jeito nisso? Perguntei-me, enquanto me revoltava cada vez mais com tudo que estava acontecendo. Me lembrei então, do último texto do ano passado que tive que interpretar. Falava sobre a água, e sobre seus prejuízos caso a mesma acabe algum dia. É preciso que alguém faça algo rápido, eu escrevi naquela redação.
“Vamos todos morrer de sede, alguém precisa fazer algo.” Disse eu, em meio à água quente e limpinha que estava ao meu redor. Eu me indignava cada vez mais, mas era incapaz de fechar a torneira e fazer algo por mim mesma.

Os verdadeiros merecedores do amor.

Em última análise, pude deduzir que devemos dar o nosso coração para cães. Sim, é verdade. Cães sabem dar valor ao nosso sentimento, e sim, eles correspondem à altura. Cães não querem saber se você usa a marca da moda, se você passa maquiagem, ou é legal. Eles não querem saber se você é dotado de inteligência ou arrogância o suficiente para participar desse teatro sujo que chamamos de vida em sociedade. Eles não se importam com quantos garotos você beijou em uma festa, ou se você ainda é virgem. Eles não se preocupam com o seu status financeiro, ou a sua vida social. Não traem, não enganam, não mentem descaradamente. Eles não tentam te convencer a fazer o mal. Eles não falam coisas ruins sobre você, quando você está longe. Eles não riem da sua forma de pensar, nem de como você amarra os cabelos. Eles não são hipócritas e nem tentam te derrubar.

E se essas afirmações não bastam, ouso dizer que um cão jamais trocará você por qualquer outra coisa ou pessoa.

Finalmente, a conclusão.

Acho que cansei. Cansei de tomar banho a cada três horas, para a água misturar-se com as minhas lágrimas. Cansei de perguntar o porquê de tudo. Cansei de parecer ideal para você, porque no fundo, eu sei que você não é ideal para mim, você não é nada que eu esperei. Você é pior do que eu pensava. Não vale a pena lutar por um romance paralelo, regado de prazer e nada de amor.

12 de junho de 2009

Medo, dúvidas e afins;

Você, nunca foi e nunca será o que eu sempre sonhei pra mim. Não é possível, você não se encaixa em nenhum dos meus planos – os planos que construí com tanto amor. Você me faz sentir muita raiva, por saber que em um simples gesto teu, meu mundo pode desabar a qualquer momento. Você abala todas as estruturas do meu castelo que costumo chamar de individualismo. Você me preocupa, francamente. Por isso fujo, me escondo, finjo que você não existe. Porque tenho medo do efeito que você pode vir a causar em mim. Eu tenho medo de amar você.

5 de junho de 2009

Sunshine;


Hoje o sol está lá fora, iluminando o caminho e aquecendo o coração dos apaixonados. É a primeira vez em dias, que ele se atreve a brilhar de tal forma. Mas as pessoas parecem não se preocupar com tal rebeldia, parecem sequer notar que ele está lá. Hoje decidi fazer como o sol, quero brilhar intensamente sem que ninguém perceba. Hoje eu quero viver mais, observar mais, comer muito mais, hoje eu quero ser mais feliz. Hoje eu quero poder ir onde meu coração desejar, sem precisar dar explicações. Hoje eu quero correr pelas areias quentes das praias californianas quero sentir o vento frio da gelada Londres me envolver. Hoje eu quero não só conhecer o mundo, quero explorar esse meu Brasil que tanto tem para me mostrar. Hoje eu quero fazer não só uma, mas várias pessoas tão felizes quanto eu. Hoje eu quero que tudo se dane, quero somente sentir essa alegria sem igual me envolver. Quero construir a minha própria história, sem medo das pedras pelo caminho ou fracassos. Quero deixar cada vitória ser um motivo a mais para continuar respirando, para continuar tentando. Hoje eu quero sentir o aroma das flores do campo, tão delicadas e singelas. Hoje eu quero perceber até mesmo o detalhe mais insignificante, mas que dá a beleza ao mundo que vivemos. Ora, o universo é tão grande, e eu tenho uma vida inteira para descobri-lo, vou explorá-lo até quando Meu Deus quiser. Vou ser feliz até que meu coração já não agüente mais bater, vou sorrir até quando Deus me chamar para junto dele.

2 de junho de 2009

Coração não conhece limites;


Ídolo; pessoa a quem se tributa respeito ou afeto excessivo.

Se eu disser que nunca tive um ídolo, vou me transformar na maior mentirosa de todos os tempos. Pois já tive ídolos de todos os jeitos e nacionalidades. A começar por um certo bruxo de óculos, que desde sempre tem andado comigo. Mas Harry se encaixa no grupo de amigos imaginários que eu tanto gostava de brincar. Participava de suas aventuras como se fizesse parte da história, e isso me ajudou muito.
Mas não estou falando de amigos ou heróis, estou falando daquela pessoa que te deixa meio besta, que mesmo não sabendo que você existe, mas mesmo assim você deposita um excesso de carinho e atenção para aquela determinada pessoa.
Bom, Skandar Amin Casper Keynes é o nome desse determinado elemento, que vem mexendo com a minha cabeça desde sempre, mesmo que informalmente. Nunca soube ao certo o que me atraí a ele, talvez seja o jeito carinhoso como trata cada fã, ou o fato de ter o sorriso de canto mais sedutor que eu já tive o prazer de contemplar. E confesso que faço isso constantemente, e sem pudor algum. O fato é que cada dia que passa, eu me encontro cada vez mais encantada com o seu jeito nobre de ser e agir. E as dúvidas invadem a minha mente, “será que ele é realmente assim, digo, cara a cara?” Confesso também, que já pensei muitas coisas ruins sobre seu jeito pessoal de ser. Medo? Suponho que sim. Medo de me apaixonar por uma pessoa que de fato não conheço pessoalmente, e que não sabe da minha existência, e talvez nunca saiba. Então decidi me esconder atrás da mentira que criei sobre sua pessoa. Mas no fundo, eu sou como qualquer outra garota, que pensa que ele é tudo de bom.
Estou convicta de que ele não é um ser perfeito. Mas parece ser tão divertido e agradável em suas fotos pessoais, que é um tanto difícil pensar que o mesmo é um cretino e cafajeste. Gosto de pensar que ele é como um garoto normal, que gosta de sair com os amigos, beijar e ouvir música, o que de fato é verdade. E tento não pensar muito em sua vida amorosa, pois sempre que aparece uma garotinha a mais, torço o nariz e não me simpatizo na hora. Mas nunca chorei, nunca cheguei a tanto por ele, por achar que não vale a pena. Mas vontade não faltou. Não pelo fato de ter uma namorada e estar agindo normalmente, mas por suas conquistas. Sinto que estou com ele para tudo, como uma amiga. Mesmo estando tão longe, e meio que incapacitada de oferecer um ombro amigo ou um abraço.
Mas mesmo tentando controlar esse sentimento, ainda sinto que ele está prestes a sair das riscas, ficar fora de controle. Pois sempre que vejo alguma foto nova, um vídeo, ou escuto a sua voz rouca, meu corpo todo se arrepia, e meu coração dispara.

1 de junho de 2009

Qual é o seu vício?

Photobucket


Depois de horas a fio descobrindo os meus vícios até então desconhecidos – e conhecidos. – decidi que talvez eu seja a garota que mais tem vícios na cidade do Embu. Embora nenhum desses citados aqui causarem algum dano à minha saúde, ás vezes me fazem perder noites de sono, ou ganhar uns quilinhos a mais.

Gulosa, com orgulho.

Nunca rejeitei uma pizza ou um bolinho de carne. E até trocava as minhas refeições diárias, todas elas cheias de vitaminas, proteínas e ferro por um pouco de refrigerante com bolo de chocolate (o que deixava a minha mãe bastante nervosa). Minha avó, leal companheira nas horas mais felizes do meu dia, vivia dentro da cozinha comigo, jogando conversa fora, e uma hora ou outra checando a pipoca que estourava dentro da panela.
Como toda hora, seja um prato cheio até pequenos petiscos. A questão é que sempre e sempre estou mastigando. E por incrível que pareça, sou magra. É! Uns dizem que sou doente, que minha mãe deveria levar-me ao médico com urgência. Outros dizem que eu sou ruim mesmo, e que sempre serei assim. Eu já me simpatizo mais com a teoria da minha amiga, aluna brilhante em biologia. Assim que inventam alguma hipótese para o meu emagrecimento contínuo, ela logo coloca a verdade sobre a mesa. “Seu metabolismo é rápido demais, já disse.” E todos preferem ficar calados, ou soltar um Nerd em voz baixa.

Aspirante à Romancista.

Eis aqui, algo que não sei distinguir como vício ou paixão. Escrever para mim é algo mais que um simples hobby. Mas confesso que pareço uma maníaca por letras. Não consigo terminar de ler um livro e não começar outro no mesmo minuto, tenho uma porção de romances dos mais diversos gêneros (tenho uma queda terrível por biografias de drogados, romances eróticos e tudo relacionado à magia). E meu gosto de escrever fanfics idiotas e sem nexo algum, sem fins lucrativos, somente para alimentar um amor que cresce à cada minuto é muito grande. Sempre tive preferência por drama, é a minha especialidade.

Fotografa Compulsiva.

Sabe aquele tipo de pessoa que tira foto de tudo que vê pela frente? Essa sou eu. Não me contento em contemplar a paisagem por alguns minutos, tenho que deixar gravada para sempre, para que eu possa encontrar a fotografia jogada em alguma gaveta qualquer, e lembrar-me dos bons momentos que passei com pessoas amadas.

Crítica de Cinema.

Eis aqui um vício divertido, ainda mais quando se tem um gosto excêntrico de sempre acabar preferindo filmes Trash, cheios de sangue de mentira e mulheres nuas correndo de um assassino armado sempre com uma arma branca.

Laika.

Esta foi a graça que lhe dei, pois desde o momento em que meus olhos encontraram os dela, prometi a mim mesma que nada a machucaria, pois apesar de não ter o dom da fala, tem o dom da amizade. E pode deixar, eu falo por nós duas.

Chuvas tempestivas e ventanias fortes.

Eis aqui uma pessoa que ao ouvir a primeira gotícula chocar-se contra a janela de vidro do quarto, corre para a primeira estante de livros.