24 de março de 2010

Thanks For The Memories;

Não tenho muita experiência de vida, portanto não posso me julgar uma pessoa madura. Ainda estou aprendendo com os meus erros, e de vez enquando esbarro em alguma situação que não consigo lidar. Ás vezes fracasso, outras vezes não. Pior seria se não tentasse, se não tirasse de cada mero tropeção, uma lição.

Alguns meses atrás o destino me tirou alguém que era tão importante em minha vida, que jamais pensei na possibilidade de perdê-la. Como qualquer mero ser humano, não consigo identificar os presentes que Deus coloca em meu caminho, e quase sempre não dou o devido valor a eles, depois que dei por mim, já era tarde demais para lamurias. Essa pessoa não voltaria jamais, não que ela não quisesse, mas porque não poderia.

Naquele verão tudo corria muito bem para mim, a única coisa que tinha que fazer era me livrar de um namoro indesejável, queria aproveitar os raios de sol e a pouca roupa para conquistar várias meninas na praia. Mas tinha medo. Tinha medo de ficar sozinho, então tinha uma namorada, e conquistava as meninas na praia. Naquela época, eu não amava ninguém, eu só queria conquistar as meninas na praia, como qualquer moleque de dezessete anos. Isso não é pecado, desde que não faça outra pessoa sofrer, mas sem perceber estava machucando quem mais me amava.

Ao meu ver as coisas não eram bem assim, nunca viajei com namorada alguma, e pensava que o que ficava na areia se perdia com o tempo. Achava que tudo isso era tão inocente... Pelo menos para meu coração leviano.

Um dia a bomba estourou, numa festa em que nos encontrávamos juntos, mas até então não sabia, ela estava lá junto a uma amiga que apontava o indicador em minha face de longe, julgando-me. Pego em flagrante, fui julgado e a sentença veio logo após: Aquela que tanto me ajudou, cansou-se de sofrer com incontáveis mentiras, e partiu sem dizer adeus.

Não demorou muito para tudo perder a cor, e o sol desaparecer do meu céu. Ela o levou consigo toda a beleza do meu mundo. A comida perdeu o gosto, a noite era fria e a saudade deixava meu coração ainda mais gelado enquanto as lágrimas escaldavam meu rosto. As inúmeras garotas já não me completavam mais, e acabei por ficar mais seletivo. Obsessivo, pois havia deixado partir a pessoa que mais me fazia feliz, e sequer sabia. Então a coragem me agarrou, cuspiu em minha face e a estapeou, segurei suas mãos, e pedi perdão por todo aquele sofrimento desnecessário, meu coração clamava por sua volta. Mas ela disse que preferia passar os dias que restavam sozinha.

A ficha demorou a cair. Ela sabia, sabia de tudo e sequer me contou. Pra que? Nunca me importei antes, porque mudaria agora. Sabia que ela pouco acreditava em meu amor, e estava com toda a razão, mas o que eu podia fazer agora, que meu coração precisa tanto de sua presença? As consultas médicas toda semana, e seu receio de ficar sozinha... Todas as vezes que podia ter ido com ela, acompanhar sua saúde, a obriguei a ir sozinha para toda aquela tortura porque preferi estar com outras garotas mais bonitas e mais saudáveis, que pudessem me acompanhar aonde quer que fosse.

Alguns dias depois da nossa conversa ela se foi, e levou com ela toda a minha esperança de um dia voltar a ser feliz. Um tumor no cérebro, foi o que a tirou de mim. Naquela noite seus pais decidiram que havia uma chance de salvá-la com uma operação às pressas, mas a doença já havia a consumido por inteiro, não havia mais salvação e ela sabia disso. Despediu-se de mim, e se eu soubesse que nunca mais a veria teria me despedido melhor, teria feito tudo, absolutamente tudo diferente.

Hoje sei porque ela negou passar seus últimos dias ao meu lado, para poupar sofrimento maior. Talvez, no fundo, ela realmente acreditara na minha mudança, e em algum lugar ela deve estar torcendo por mim, mesmo que não mereça (...)

4 comentários:

  1. Nossa que texto forte...

    Mas é bom ler textos assim...
    Ja dizia aquela frase que é tao comum...
    "Antes aprender com os erros dos outros do que aprender com os nossos."


    É bom pra refletir...

    ;)

    ResponderExcluir
  2. Confesso que meus olhos encheram-se de lágrimas e pra não ser prolixo ou supérfluo, prefiro calar-me diante deste belo texto e profunda reflexão, além de uma triste história!

    Sucesso 0/

    ResponderExcluir
  3. Pô, q tocante. *-*
    Mas "this is life"!
    Aprendemos com nossos erros e acertos, Deus coloca em nosso caminho pessoas q fazem percebermos o quanto somos infantis e egoítas.
    Amar é crer, viver é sonhar! (nada haver)
    Enfim, PARABÉNS! ;)

    XOXO '
    http://canalcereja.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Erros todos nós cometemos esse tal
    de "se " sempre nós leva a horas de
    reflexões, bom espero que vc aprenda com
    os erros e seja melhor tenha certeza de que onde estiver ela estará te olhando sem magoas e arrependimento fica agora os momentos bons
    as orações e o tempo só ele cura.

    ResponderExcluir