14 de maio de 2010

Pela Culatra;

É triste, dói bem lá dentro, como uma bala rasgando e perfurando o seu peito. A principio não dá para acreditar que tal fato aconteceu justamente com você, mas depois acaba se acostumando com o fato de que é só mais um(a), e é justamente daí que vem a dor, e sangra. Uma dor insuportável e indescritível, e você se pergunta o que fez de tão mal para que todas as desgraças do mundo caíssem sobre ti justamente nessa hora. Pior que foi quando você menos esperou, não estava preparado(a) para tamanho baque. Golpe sujo. Então tudo embaça, e já não dá para enxergar tudo com clareza, só dá para sentir. Caso sobreviva a essa dor, saiba que o que virá depois é bem pior, mas não é permanente. Sabe, quando a realidade enche seus olhos novamente, e tu percebe o que acabara de acontecer, não dá para parar de pensar em outra coisa, e volta a doer, mas não porque determinada pessoa a feriu, e sim porque você sabe que as coisas são assim, nesse mundo o mais fraco apanha e é dominado, você descobre que o dinheiro comanda, e hoje em dia, ninguém quer mais amor.

2 comentários:

  1. perfeito esse texto. você realmente tem um talento sabia beatriz? sou sua fã. de verdade.

    ResponderExcluir