28 de fevereiro de 2014

Vida de Gato;



Todo dia depois que acordo, abro a janela e a vejo pendurada no muro, esperando os primeiros raios solares trazerem mais umas horas de sono de beleza. A observo se espreguiçar, abrir sua pequena boca num bocejo delicado enquanto estica suas pequenas patinhas rosadas e se ajeitar para receber o calor solar. Me entristeço ao saber que o sol irá brilhar lá fora, e eu vou me enfurnar num lugar dominado pelo ar condicionado e papéis que não me interesso. Ela continua lá, e quando percebe minha presença, me deseja bom dia do jeito dela, me observa de cabeça para baixo, pois está ocupada, com as patas para cima recebendo o sol da manhã.

Há se soubesse como a invejo! Como queria poder me deitar e receber o sol, tomar meu banho diário sem me preocupar com as horas que estão voando ultimamente e outrora me interessar por um inseto ou outro numa caçada implacável. Como queria resolver meus problemas com essa delicadeza toda, e me manter sempre calma e serena diante de uma tempestade, somente observando... Como gostaria de ter sua autonomia de ir e vir, com o ar imponente de quem diz “Ninguém coloca as mãos em mim”, e sai para mais uma aventura sob o olhar iluminado da lua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário