24 de junho de 2015

-

Foi como aquela típica chuva de verão.
Desabou de repente, levando tudo o que havia pelo caminho com suas rajadas de vento e trovoadas. Tive medo do que viria a seguir – mesmo achando agradáveis as chuvas de verão – mas mantive os olhos fixos em toda a confusão, tão distraída que mal percebi a limpeza sendo feita. Quando a agitação passou, só me restou algumas ideias que não faziam o menor sentido e a brisa fresca pós tempestade.

Eu não sabia, mas era tudo o que eu precisava para começar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário